SEMINÁRIO “1967, meio século depois”

18 de October de 2017 23456496_10155935291058086_278562537434991416_o

O seminário “1967, meio século depois” visa refletir sobre o aniversário desse ano-chave para a cultura brasileira no século XX. No entanto, a opção por suspender a referência direta ao Tropicalismo no título e nas mesas do seminário tem por objetivo questionar os eixos que vêm norteando os debates sobre arte, cultura e sociedade daquele momento. Abrindo o escopo teórico e cronológico do debate para além do marco tropicalista, o seminário debaterá questões como a relação entre vanguarda e teoria do subdesenvolvimento, a discussão filosófica sobre repressão e desrepressão, o manifesto enquanto forma de pensamento e intervenção, a questão do realismo nas artes, o crescente protagonismo da televisão na paisagem cultural da época e a elaboração autocrítica de artistas intelectuais no período seguinte ao golpe de 1964.

Este evento foi viabilizado pelo Edital de Apoio Financeiro a Eventos de Natureza Interdisciplinar do IEAHu-PUC/Rio.

LOCAL:
Auditório B8, Edifício Frings, 8º andar, PUC-Rio

PROGRAMAÇÃO:

QUARTA-FEIRA, 22/11

11h – 11h15 / Apresentação do seminário
Organizadores, Julio Diniz (Decano do CTCH da PUC-Rio) e Luisa Buarque (Diretora do IEAHu)

11h15 – 13h / Estruturas de passagem – 1967 em 4 séries
Flora Süssekind (UniRio); Bia Lessa (dramaturga)

14h – 16h / Subdesenvolvimento posto em questão
Diego Viana (USP – Paris 7); Tatiana Roque (UFRJ); Moacir do Anjos (Fundação Joaquim Nabuco)

16h30 – 18h30 / Opiniões e realismos
Rodrigo Nunes (PUC-Rio); Felipe Scovino (UFRJ); Sergio Martins (PUC-Rio)

QUINTA-FEIRA, 23/11

11h00 – 13h / Mesa de estudantes de pós-graduação: Os tropicalismos na sua época
Rafael Zacca Fernandes (PUC-Rio); Aïcha A. de Figueiredo Barat (PUC-Rio): Tropicália ou Panis et circensis, a capa de disco como forma de manifesto; Ana Gabriela Dickstein Roiffe (PUC-Rio); Ana Paula Almeida Dantas (PUC-Rio)

14h – 16h / Quem lê tanto manifesto?
Marcia Cavalcante Sá Schuback (Universidade de Södertörn); Luiz Camillo Osório (PUC-Rio); Marília Rothier (PUC-Rio)

16h30 – 18h30 / Filosofias da desrepressão
Flavia Cera (SPECIES); Imaculada Kangussu (UFOP); Pedro Duarte (PUC-Rio)

SEXTA-FEIRA, 24/11

11h – 13h / Mesa de estudantes de pós-graduação: Os tropicalismos lá e cá
Uriel Massalves de Souza do Nascimento (PUC-Rio); Jorge Augusto de Serpa Mendes (PUC-Rio); Samantha Ribeiro de Oliveira (PUC-Rio); Leonardo Antan (UERJ)

14h – 16h / A revolução televisionada
Regina Mota (UFMG); Paulo da Costa (UFRJ); Tadeu Capistrano (UFRJ)

16h30 – 18h30 / O balanço da fossa
Eduardo Jardim (PUC-Rio); Juliano Gomes (Cinética); Fred Coelho (PUC-Rio)

18h30 – 19h30 / Conferência de encerramento (título a ser anunciado)
João Camillo Pena (UFRJ)

ORGANIZAÇÃO:
Pedro Duarte
Sergio Martins
Fred Coelho
Felipe Scovino

REALIZAÇÃO:
Departamento de Filosofia da PUC-Rio
Departamento de História da PUC-Rio
Departamento de Letras da PUC-Rio
Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da EBA/UFRJ

APOIO:
Instituto de Estudos Avançados em Humanidades da PUC-Rio
CAPES

Créditos da imagem:
Laercio Redondo, “Carmen Miranda – Uma ópera da imagem”
Escultura Sonora, 2010, dimensões variadas
Em colaboração com Marcia Sá Cavalcante Schuback (texto)
Fotografia Sérgio Araújo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *