O Departamento de História da PUC-Rio convida para a Palestra Gentes do Jardim, gentes do quintal: donas, mozungos e achicunda da Zambézia (Moçambique, séculos XIX), com a historiadora Marly Spacachieri

03 de November de 2016
A palestra tem como objetivo apresentar a complexa formação de uma estrutura social especialmente presente na região da Zambézia, composta por indivíduos originários de diferentes pontos da então Moçambique colonial, alguns deles vindos das imediações, mas outros de regiões longínquas do continente africano, ou mesmo de Goa, Macau e Portugal. Esses agentes sociais tornaram-se imprescindíveis para o funcionamento (posse, manutenção e absorção de riquezas e poder) da especial maneira de dotação de terras empreendida pela Coroa Portuguesa na África Oriental: o sistema de prazos das terras. Os prazos tinham uma organização fortemente militarizada de escravos-guerreiros, denominados achicunda, que agiam como um braço armado que substituía o sempre ausente contingente do exército português. Muitos senhores dos prazos (prazeiros), por conta de interesses pessoais, tornaram-se aparentados de chefes africanos por meio de casamentos e acordos, e seus descendentes formaram, mais tarde, uma estirpe de lusoafricanos, afrogoeses e lusogoeses, que ficou conhecida como “a dos mozungos e suas donas”.
 
Marly Spacachieri é formada pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da USP, professora do Curso de Extensão “Entre corporalidades, escritas e cibercultura: seis dimensões para o ensino de História da África” e pesquisadora do Grupo Áfricas: Leddes-UERJ/UFRJ.
Data, hora e local: Dia 10 de novembro, às 17h, sala F502.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.